Coppalj renova contrato para fornecer óleo de babaçu para a Body Shop

A Cooperativa de Pequenos Produtores Agroextrativistas do Lado do Junco e Lago dos Rodrigues (Coppalj) renovou, por mais três anos, o contrato de fornecimento do óleo orgânico de babaçu com a The Body Shop, marca inglesa de cosméticos naturais. Pelo acordo firmado, a Coppalj fornecerá cerca de 80 toneladas de óleo por ano.

A renovação ocorreu na segunda quinzena de setembro por ocasião da visita de representantes da marca na sede da Coppajl, no município de Lago do Junco/MA, sendo recebidos por dirigentes da Cooperativa e equipe técnica da Associação em Áreas de Assentamentos no Estado do Maranhão (Assema).

A parceria entre Coppajl, Assema e The Body Shop já dura 28 anos, quando a cooperativa iniciou o fornecimento para a marca inglesa, baseada em princípios do comércio justo e solidário de valorização de comunidades tradicionais.

Em setembro, durante a visita de representantes da The Body Shop à cooperativa, foram tratados assuntos sobre a continuidade do contrato, além de questões de governança e controle de qualidade da produção do óleo de babaçu.

Na ocasião, os representantes da The Body Shop também visitaram comunidades de quebradeiras de coco babaçu e as cantinas da Coppalj nos povoados de Centro do Aguiar, São Manuel e Ludovico onde são comercializadas as amêndoas do babaçu, além de visitarem uma Escola Familiar Agrícola (EFA) do município de Lago do Junco. Todas as comunidades são acompanhadas pela Assema, que desenvolve estratégias de conservação dos babaçuais e valorização da cadeia extrativista do babaçu. Alguns destes projetos de incentivo contam com importante apoio do Fundo Amazônia, que também financiou ano passado a instalação do laboratório de análises do óleo da Coppalj.

“A visita foi avaliada de forma muito positiva. O contrato entre a Coppajl e a The Body Shop leva em conta itens e princípios básicos como a não contratação de mão-de-obra infantil, a não contratação de trabalho análogo à escravidão, a valorização dos prestadores de serviços desde cantineiros, motoristas, vigias, operadores de máquinas e técnicos de campo. Outros fatores importantes discutidos com os representantes da empresa foi a questão ambiental dos babaçuais na região e também sobre a equidade de gênero, que também são os pilares do comércio justo e solidário”, explicou o gestor técnico da Assema, Valdener Miranda.  

A The Body Shop, criada há mais de 40 anos, não utiliza testes em animais e valoriza o comércio justo e solidário com comunidades. Por esta razão, a marca inglesa é pioneira em levar em conta aspectos socioambientais na produção de produtos de beleza.   

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

deixe seu comentário