Assema discute projeto de criação do Consórcio de Conservação e Uso Sustentável Babaçu Livre

A diretoria da Assema reuniu-se no dia 06 de julho, em sua sede, em Pedreiras-MA, para discutir sobre o desenvolvimento do projeto “Consórcio de Conservação e Uso Sustentável Babaçu Livre”.

O projeto é fruto da parceria entre a Assema, a Cooperativa Central do Cerrado e a Cooperativa dos Pequenos Produtores Agroextrativistas de Lago do Junco (COPPALJ) e conta com apoio técnico e financeiro do Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos (CEPF) e o WWF-Brasil.

O objetivo é reunir organizações que atuam na cadeia de babaçu para a criação do Consórcio Babaçu Livre, que vai desenvolver e multiplicar a capacidade de uso sustentável dos babaçuais, oferecendo formação técnica em boas práticas de manejo em cerca de 100 mil hectares de áreas conservadas, além de facilitar a produção, comercialização e gestão dos produtos.

“A Assema já desenvolve estratégias de preservação e uso sustentável dos babaçuais no Médio Mearim, juntamente com a Coppalj. Entendemos que agora é o momento de unir forças, integrando outros empreendimentos comunitários e organizações parceiras para construir, de forma coletiva, ações que incentivem mais ainda o agroextrativismo da cadeia do babaçu que gera renda e garante o sustento de milhares de famílias, tento à frente a quebradeira de coco babaçu”, afirmou o coordenador geral da Assema, Francisco Germano de Sousa.

O projeto será desenvolvido ao longo do ano de 2021 em dois grandes territórios, que são a região do Médio Mearim e Cocais, no Maranhão e a região do Bico do Papagaio, no Tocantins, envolvendo ao todo vinte municípios e Unidades de Conservação.

Participaram da reunião o coordenador geral da Assema, Francisco Germano, a secretária executiva Silvianete Carvalho, o técnico de processamento Ronaldo Carneiro, o técnico de comercialização Ricardo Araújo, o técnico de produção Agenor Damasceno, o gestor financeiro Valdener Miranda, além do coordenador do projeto Mayk Arruda.

Após a reunião na Assema, o projeto Consórcio de Conservação e Uso Sustentável Babaçu Livre foi apresentado nos dias seguintes em reuniões com as organizações: COPPALJ e AMTR, em Lago do Junco; AMTQC, em São Luiz Gonzaga e à organizações parceiras como o MIQCB, em Codó, SAF, CIMQCB.

A coleta e o aproveitamento do coco babaçu é tradição e fonte de renda para milhares de mulheres na região do Cerrado, principalmente, nos estados do Maranhão e Tocantins, área de abrangência do projeto “Consórcio de Conservação e Uso Sustentável Babaçu Livre”.

O Consórcio Babaçu Livre irá promover a ampliação da capacidade produtiva e comercial das organizações que o integrarem, disseminando boas práticas de manejo e gestão, já desenvolvidas pela COPPALJ na região do Médio Mearim há mais de 25 anos. Informações: jornalistas Mariana Castro – Central do Cerrado | Franci Monteles – Assema

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

deixe seu comentário